NotíciasPolítica

Senador critica impossibilidade do uso da tribuna no plenário

Senador Eduardo Girão critica cancelamento de sessão não deliberativa no Senado

Nesta segunda-feira (18), o senador Eduardo Girão (Novo-CE) expressou críticas ao cancelamento da sessão não deliberativa no , uma sessão que normalmente ocorre às segundas. Esta sessão é destinada para os senadores fazerem discursos na tribuna, sem que seja realizada a votação de propostas.

O legislador afirmou que esta foi a terceira sessão cancelada apenas neste ano, devido a um acordo realizado no ano anterior que impede o início da sessão sem a presença de algum membro da Mesa Diretora do Senado para iniciá-la.

“Na véspera dos 200 anos da Casa Revisora da República, tivemos um “presente de grego”. Desde o ano passado, para o exercício pleno da atividade parlamentar: só se pode abrir sessão não deliberativa, mesmo para discursos, se tiver um dos membros da Mesa presente”, escreveu o parlamentar na rede X.

Girão esclarece que jamais foi requerida tal condição para a condução de uma sessão não deliberativa. De acordo com ele, “tal mudança só prejudica o “parlar” (falar), ou seja, “falar” é uma das premissas fundamentais de um parlamentar que usa a palavra para denunciar”.

“Me senti vilipendiado com a situação hoje. Haja vista não ter sido a 1ª vez que fiquei impedido de me pronunciar sobre vários temas que me preparei e considero importante abordar publicamente no parlamento”, disse.

O senador do Ceará afirmou que tem a intenção de pedir uma “reconsideração” à Mesa Diretora, a fim de retomar a prática habitual das sessões no plenário.

Artigos relacionados

Um Comentário

  1. O termo casa revisora, hoje é piada. Se tem o acordo, agora não haverá mais o uso do plenário, pois a mesa é escolha do governo federal, e não dos congressistas. Ou fazem uma proposta de organizar todos o congresso (sem aceite de pressão do governo federal, e sim da sociedade), até lá, são congressistas medroso, mercenários e reféns de uma emissora de tv.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo