Economia

Sem pandemia, rombo fiscal do Brasil explode e bate recorde atingindo R$ 1,043 trilhão em abril

Dívida bruta sobe para 76% do PIB, conforme projeções do Banco Central.

Ainda que não estivéssemos lidando com uma pandemia, o setor público consolidado do Brasil – composto por União, Estados, municípios e estatais – apresentou um déficit nominal histórico de R$ 1,043 trilhão nos 12 meses anteriores a abril. A informação foi divulgada pelo Banco Central nesta quarta-feira (29).

Pela primeira vez, o rombo nas contas públicas ultrapassou o pico de R$ 1,017 trilhão, que foi registrado durante a pandemia da Covid-19.

O setor público tem um déficit nominal, que é o resultado do balanço entre receitas e despesas, incluindo o pagamento dos juros da dívida. O Banco Central informou que o déficit de R$ 1,043 trilhão equivale a 9,41% do PIB. Um dos fatores principais para a elevação do déficit é a despesa com os juros da dívida, que totalizou R$ 776,3 bilhões nos 12 meses acumulados até abril. Este valor é o mais alto já registrado na série histórica.

A manutenção da alta taxa básica de juros (Selic) em patamares elevados por um extenso período de tempo, resultou no encarecimento da dívida pública e contribuiu para um maior déficit nominal. No momento, a Selic se encontra em 13,75% ao ano, uma taxa vista como restritiva, com o propósito de controlar a inflação e as expectativas futuras.

Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, expressou incertezas sobre o cenário internacional, a possibilidade de alteração na “meta de inflação” e questionamentos acerca da confiabilidade do novo “arcabouço fiscal”.

O titular da pasta da Fazenda, Fernando Haddad, por outro lado, argumenta que a meta inflacionária é extremamente rigorosa e condena o que ele denomina de “fantasminhas” que propagam a percepção de um estado econômico em declínio no Brasil.

Artigos relacionados

Um Comentário

  1. Onde está a justiça, que não afasta este elemento, que tentaram ressocializar, mesmo sabendo que o queria era destruir a nação. Não apresentou nada neste periodo do achaque, só vergonha e desmoralização em sua saga de turismo e gastança de milionário pelo mundo.
    Tenta a aproximação do congresso, somente através da chantagem financeira, com os maus elementos que aceitam ser comprados, com os bilhões tirados da saúde, educação e outros serviços prioritários , exemplo mos ultimos dias, em que o congresso diz na cara de pau, que o povo reinvidicou e eles derrubaram pautas do governo, ora isso foi a interrupção da canalização do dinheiro dos impostos, que deixaram de encher seus bolsos.
    Será que teremos que pedir ajuda ao Musk, que pressiona até o governo dos EUA.
    Se fosse o Mitto, já teria sido enforcado, assim como desejou um mini stro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo