Economia

Rede de postos de combustíveis anuncia aumento no preço da gasolina, diesel e etanol após MP que altera regras de impostos federais

Mudança no preço dos combustíveis vai ocorrer a partir desta terça-feira (11). Rede alega que cabe aos revendedores definir o preço na bomba.

Na segunda-feira (10), a Ipiranga, distribuidora de combustível, anunciou o aumento nos preços da gasolina, diesel e etanol em seus postos credenciados. A implementação do reajuste será na terça-feira (11), porém, a empresa não divulgou o valor específico do aumento.

Em comunicado enviado aos postos, a Ipiranga afirma que “em adição à dinâmica habituais de repasses, os nossos preços de gasolina, etanol e diesel serão reajustados em função do efeito imediato da MP 1227/24, que restringiu a compensação de créditos tributários de PIS/Cofins”.

Procurada, a empresa disse que “pratica uma política de preços alinhada aos parâmetros vigentes, atendendo às normas setoriais”. A distribuidora também diz que cabe aos revendedores decidir sobre o preço dos combustíveis na bomba.

“[…] o preço é livre e a prática do preço do combustível na bomba é uma decisão do revendedor, uma vez que a empresa opera em regime de livre iniciativa e concorrência, conforme previsto em lei”, diz a empresa. (Leia a nota completa ao fim desta reportagem).

Entidades Relatam Aumento de Custo

Nesta segunda-feira (10), as entidades do setor de combustíveis Brasilcom, Abicom, SindTRR, Fecombustíveis e Sindicom divulgaram uma nota conjunta em oposição à medida.

De acordo com as associações, a restrição ao uso de créditos de PIS/Cofins de insumos para quitação de outros impostos federais “represará esses créditos em sua contabilidade e ainda forçará as empresas a buscar outros recursos financeiros como por meio de empréstimos”.

De acordo com as entidades, o aumento dos custos provavelmente será refletido no preço dos combustíveis.

“Esses custos adicionais impactarão toda a cadeia, inclusive para o transporte público, frete de carga e alimentos, com impactos diretos sobre o consumidor final e sobre a inflação”.

No vídeo divulgado nesta segunda-feira (10), Paulo Tavares, presidente do Sindicato dos Postos de Combustível do Distrito Federal (Sindicombustíveis-DF), destacou que, da mesma forma que a rede, outras distribuidoras provavelmente irão transferir os custos, originando uma “nova despesa” que provavelmente será sentida no bolso do consumidor final.

“Se essa medida provisória avançar, muito em breve, [as grandes distribuidoras] vão repassar para os revendedores o custo dessa não compensação dos créditos tributários. Em alguns casos, a variação de preços vai de 3% a 7% de reajustes no diesel, gasolina e etanol. O consumidor deve ficar alerta, porque o revendedor compra da distribuidora, e não da Petrobras”.

Medida provisória

A última semana viu o governo publicar uma medida provisória restringindo o uso dos créditos dos impostos federais PIS/Cofins pelas empresas.

A divulgação da medida pelo governo foi um meio de balancear a desoneração da folha de pagamento de setores econômicos e municípios, visando atingir a meta de “déficit zero” em 2024.

No entanto, a ação não foi bem recebida pelos empresários. O Instituto Brasileiro do Petróleo (IBP) estima que haverá um impacto de 4% a 7% no preço da gasolina, e de 1% a 4% no custo do diesel devido ao limite nos créditos de PIS/Cofins.

Artigos relacionados

5 Comentários

  1. Os preços dos combustíveis disparando, as queimadas da Amazônia não param, a inflação descontrolada, será que vão culpar o presidente Bolsonaro?

  2. Os preços são livre, ainda bem que a JBS ainda não montou as redes dele no Brasil. A Petrobrás é que precisa exercer o papel social que deveria ter em função da população brasileira e não de seus acionistas, ávidos por lucros exorbitantes. Vivamos com o governo que dizem ter ganho a eleição.

    1. Que E Isso, Aumento de Combustível? Será Que É indução para As Pessoas Roubarem, Será que E Efeito STF Que Soltou Lula, Tem Alguém Para Responder Essa Vergonha, Falta de Respeito, Vocês Chamam Esse Sistema de Demogracia? Não O Sistema É Comunista Já Reconhecido Por Políticos Que tem formação Acadêmica

  3. No frigir dos ovos, quem vai pagar a conta com a restrição ao uso dos créditos PIS/Cofins será vc, ou melhor, nós.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo