Polícia Federal Indicia Zé Trovão, Sérgio Reis, Oswaldo Eutáquio E Outros 10 Por Supostos “Atos Antidemocráticos”

PF indicia deputado Zé Trovão e cantor Sérgio Reis por organização de ‘atos antidemocráticos’
Zé Trovão Zé Trovão
Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados

PF indicia deputado Zé Trovão e cantor Sérgio Reis por organização de ‘atos antidemocráticos’

O deputado federal Marcos Antônio Pereira Gomes, também conhecido como Zé Trovão (PL-SC), e o cantor Sérgio Reis foram indiciados pela Polícia Federal (PF) por supostamente organizarem “atos antidemocráticos” que ocorreram em 7 de setembro de 2021. Além desses, outros 11 indivíduos também foram indiciados.

O grupo está sendo acusado de incentivar o crime, com uma possível sentença de prisão de 3 a 6 meses, formação de quadrilha, com reclusão de 1 a 3 anos, e de tentar obstruir o livre exercício dos Poderes.

No caso mais recente, os acusados foram processados sob a antiga Lei de Segurança Nacional, aplicável na época dos acontecimentos, que prevê uma pena de dois a seis anos de prisão.

Os acusados também incluem Antônio Galvan, ex-presidente da “Associação Brasileira dos Produtores de Soja e Milho (Aprosoja)”, e o jornalista Oswaldo Eustáquio, que foram apenas indiciados por incitação ao crime e associação criminosa.

A investigação, iniciada em 2021 a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), identificou convocações em redes sociais para supostas “manifestações antidemocráticas” em 7 de Setembro.

Zé Trovão foi alvo de prisão na ocasião e permaneceu foragido por um mês. No ano seguinte, ele foi eleito deputado federal. Atualmente, ele continua usando tornozeleira eletrônica.

O inquérito da PF, que chegou ao procurador-geral da República, Paulo Gonet, no mês passado, está sob sigilo. Gonet decidirá se apresenta denúncia contra os acusados.

Ao ser contatado pelo site Uol, o cantor Sérgio Reis declarou que não faria comentários sobre seu indiciamento, pois ainda não havia sido oficialmente notificado.

O deputado Zé Trovão, por sua vez, afirmou não ter conhecimento do inquérito em questão e optou por não responder às acusações.

O empresário Antonio Galvan preferiu não se manifestar sobre o assunto.

Já Oswaldo Eustáquio caracterizou o indiciamento pela Polícia Federal como uma “perseguição política”.


2 comments
  1. Outra vez? Quando é que essa doença vai sarar, quando é que esse câncer vai ser extirpado?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *