Notícias

Pintor impede estupro de filha e é espancado até a morte por traficantes em Cajazeiras XI

Homem foi agredido por quatro horas, na frente da esposa e dos filhos

O pintor Josenilson Souza Vitorino, de 48 anos, foi brutalmente assassinado por membros da facção Bonde do Maluco (BDM) em Cajazeiras XI, no sábado (23), após prevenir que um parente de um traficante violasse sua filha adolescente. Josenilson teve sua residência invadida por seis indivíduos, incluindo um identificado como Lucas, supostamente o gerente do tráfico na área, e sofreu agressões durante quatro horas.

“Ele apanhou de barrote, mangueira, tubo de PVC. Quebraram vários ossos do corpo dele. Ele foi socorrido pela comunidade até o Hospital Municipal, mas já chegou rígido. No trajeto, ele pediu para a mulher cuidar dos filhos e ainda disse: ‘Senhor, entrego a ti a minha alma'”, contou um dos moradores da Rua Antonieta, onde o crime aconteceu.

De acordo com uma testemunha e outros residentes próximos à vítima, na noite de sexta-feira (21), o tio de Lucas tentou abusar sexualmente da filha de Josenilson, uma adolescente de 13 anos. “Ele puxou ela pelo braço e o pai, que estava em casa, ouviu os gritos da menina e foi socorrê-la. Na hora, o tio de Lucas tirou um facão e partiu pra cima, mas Josenilson conseguiu tomar (o facão) e deu uns golpes nele”, relatou a fonte.

No dia subsequente, a residência do artista foi invadida por volta das 9h da manhã. “Ele apanhou até às 13h e a família testemunhou tudo. A mulher dele também foi apanhou. Só os filhos foram poupados, a menina de 13, e os meninos, de 15, 9 e 3 anos”, relatou um outro habitante local.

Os vizinhos ainda afirmam que a esposa do pintor recebeu uma ameaça de morte. “O tal do Lucas, o único que estava armado, botou o revólver na cabeça dela e disse: ‘Vou pipocar a sua cara de bala. Não chame a polícia'”.

O Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) está investigando o caso.

Artigos relacionados

Um Comentário

  1. Pela justiça brasileira, se…se prenderem os assassinos, eles ficarão um tempinho na prisão ganhando salário com direito a saidinha sob os olhos vigilantes dos ,Direitos Humanos, enquanto uma mãe e quatro crianças de 15, 13, 9. 3 terão que engolir todo esse sofrimento e não terão apoio moral, psicologico e finaneiro dos Diretos Humanos ou dos drs da justiça

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo