NotíciasPolítica

Paulo Pimenta usa “fake news” para defender fala de Lula

Pimenta manipula informações e usa ‘fake news’ para desacreditar críticas de ministro israelense a Lula

O chefe da Secom, Paulo Pimenta (PT; foto), manipulou a realidade e empregou a expressão “conteúdo falso” para invalidar as observações críticas do ministro das Relações Exteriores de Israel, Israel Katz, sobre a afirmação de que comparava a situação em Gaza ao Holocausto.

“O chanceler de Israel, Israel Katz, distribui conteúdo falso atribuindo ao presidente Lula opiniões que jamais foram ditas por ele. Em nenhum momento o presidente fez críticas ao povo judeu, tampouco negou o Holocausto”, publicou Pimenta no X nesta terça-feira, 20 de fevereiro.

“Lula condena o massacre da população civil de Gaza promovido pelo governo de extrema-direita de Netanyahu, que já matou mais de 30 mil palestinos, entre eles, 10 mil crianças”, acrescentou.

Na terça-feira, Katz reafirmou sua expectativa por um pedido de desculpas de Lula pela comparação da situação em Gaza com o Holocausto.

“Milhões de judeus em todo o mundo estão à espera de seu pedido de desculpas. Como ousa comparar Israel a Hitler? É necessário lembrar ao senhor o que Hitler fez?”, publicou Katz.

“Que vergonha. Sua comparação é promíscua, delirante. Vergonha para o Brasil e um cuspe no rosto dos judeus brasileiros. Ainda não é tarde para aprender História e pedir desculpas. Até então – continuará sendo persona non grata em Israel!”, acrescentou.

Artigos relacionados

3 Comentários

  1. Como o Lula, tem bajuladores. O ministro da Secom, ficasse calado, pois procurar propor outra leitura que não a que foi dita, é mesmo muito ruim para a secretaria de comunicação do governo.
    O congresso deve através de seus presidentes, fazerem o pedido de DESCULPAS ao povo Israelense.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo