Justiça

Nunes Marques envia à PGR ação de Bolsonaro contra Lula e Gleisi

Bolsonaro acusa petistas de “crime contra a honra” por terem-no chamado de “genocida, miliciano, assassino, demônio e canibal”

O ministro Kassio Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal (STF), enviou à Procuradoria-Geral da República (PGR) a ação apresentada pelo presidente (PL) contra o presidente eleito Luiz Inácio da Silva (PT) e a presidente do PT, Gleisi Hoffmann. O chefe do Executivo argumenta que os petistas teriam cometido crimes contra a sua honra.

A partir de agora, a PGR analisa o processo e se manifesta contra ou a favor do prosseguimento das investigações.

Bolsonaro cita propagandas eleitorais e um comício petista ocorrido no Complexo do Alemão durante a campanha presidencial. Na ocasião, o mandatário teria sido chamado de “genocida, miliciano, assassino, demônio e canibal”.

O pedido encaminhado pelo Ministério da Justiça à ministra Rosa Weber, presidente da Corte, está assinado pelo delegado da Polícia Federal Márcio Nunes de Oliveira.

“A representada também teria imputado ao representante a prática de fatos definidos como crime, além de ter difamado e injuriado Jair Bolsonaro em diversas oportunidades. Assim agindo, os representados teriam, conforme a representação, praticado os crimes previstos nos artigos 138, 139 e 140 do Código Penal”, argumenta a peça.

A ação inclui um vídeo do comício realizado no Complexo do Alemão em outubro, onde Lula relaciona Bolsonaro ao assassinato da vereadora carioca Marielle Franco.

Além disso, anexa publicações feitas por Gleisi nas redes sociais datadas de setembro, em que a deputada federal associa o mandatário ao assassinato do apoiador de Lula Benedito Cardoso dos Santos, morto com 15 golpes de faca por um colega de trabalho bolsonarista.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock Detectado

Por Favor, ajude-nos a manter esse site no ar. Retire o bloqueador de anúncios.