Milei abre mão de aposentadoria especial de presidente

Líder argentina criticou classe política por manter privilégios enquanto o país enfrenta déficit orçamentário
Javier Milei Durante A Posse Na Casa Rosada Javier Milei Durante A Posse Na Casa Rosada
LUIS ROBAYO / AFP-10/12/2023

Líder argentina criticou classe política por manter privilégios enquanto o país enfrenta déficit orçamentário

O presidente argentino, Javier Milei, fez um pedido à Administração Nacional de Seguridade Social (Anses), a entidade previdenciária do país, para ser removido da lista de ex-presidentes elegíveis para pensão vitalícia, no futuro. O Anses aceitou o seu pedido e Milei anunciou que se submeterá ao sistema de previdência geral.

“Venho por meio desta manifestar a minha decisão inabalável de não exercer o direito à aposentadoria privilegiada conferida pelo regime de benefícios mensais vitalícios previsto no artigo primeiro da Lei nº 24.018”, diz uma carta de Milei enviada à presidência da Anses, que respondeu de forma afirmativa, segundo o jornal Clarín.

No mesmo projeto que propõe uma “nova fórmula previdenciária” que Milei jurou vetar, a sugestão de acabar com as aposentadorias para ex-presidentes e ex-vice-presidentes da não conseguiu avançar em uma votação na Câmara dos Deputados.

Na carta à Anses, Milei escreveu que “os acontecimentos ocorridos ontem no Honorável Congresso da Nação” mostram que “a nossa classe política está mais preocupada em manter os seus privilégios delirantes do que em trabalhar para reverter o modelo que fracassou no último século”.

O presidente alegou que, “depois de a Argentina ter vivido durante décadas as consequências desastrosas do gasto público desenfreado”, é “imperativo que os líderes políticos deem o exemplo e adotem medidas concretas para conter o déficit orçamentário”. As informações são do Diário do Poder.


Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *