NotíciasPolítica

Lira ironiza atuação da ministra Marina Siva no Meio Ambiente

Presidente da Câmara debocha de oposição ao marco regulatório da geração eólica offshore.

Durante a aprovação do marco regulatório da geração eólica offshore na quarta-feira (29), Arthur Lira, o presidente da Câmara dos Deputados e membro do PP-AL, zombou da ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, por sua atuação.

Lira reagiu a uma fala do deputado federal Glauber Braga (PSOL-RJ), que informou a posição da pasta da Marina Silva. “Acabo de receber a notícia que o Ministério do Meio Ambiente tem posição completamente contrária a essa aprovação”.

O presidente da Câmara então respondeu: “Bom, não sei se ajuda ou atrapalha. Com todo respeito”. A resposta de Lira provocou risadas entre os parlamentares presentes no plenário. Já Glauber Braga, não gostou da resposta irônica do presidente da Câmara e rebateu: “Se a posição do Ministério do Meio Ambiente não interessa nada aos parlamentares que estão aqui presentes, eu só tenho a lamentar”.

Arthur Lira disse que concedeu ao parlamentar a oportunidade de questionar o relator, Zé Vitor (PL-MG), e que este já havia respondido, concluindo, portanto, a discussão.

Após passar pela Câmara, o projeto foi alvo de duras críticas de especialistas e organizações do setor elétrico, que estimam que a inclusão de cláusulas adicionais durante sua tramitação pode resultar em um aumento de custos de até R$28 bilhões.

A bancada do PSOL recorreu ao presidente do Senado para barrar a tramitação de uma proposta que, segundo eles, foi alterada em seus substitutivos e perdeu sua essência original de regulamentar o aproveitamento do potencial energético Offshore.

A carta pede a impugnação da parte do projeto que incentiva a contratação de termelétricas movidas a carvão mineral até 2050, pois isso não favorece a produção de energia limpa. As informações são do Diário do Poder.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo