JustiçaNotícias

Justiça solta médico acusado de guardar 63 kg de cocaína e facilitar homicídio em hospital

O ortopedista é acusado de ter ligação com o PCC

A Justiça de São Paulo mandou soltar o médico Alexandre Pedroso Ribeiro, acusado de guardar 63 kg de cocaína em um condomínio no Guarujá (SP) e de facilitar o assassinato de um paciente em um hospital a mando do PCC.

Pedroso estava preso na Penitenciária 1 de Presidente Venceslau (SP) e foi colocado em liberdade na última terça-feira (21).

A defesa dele vem tentando provar à Justiça que o cliente é inimputável e não pode responder por seus atos.

De acordo com o site UOL, no entendimento da Justiça, o médico estaria acometido por enfermidade potencialmente grave, necessitando de tratamento medicamentoso controlado e psicoterápico.

A Promotoria de Justiça do Guarujá recorreu da decisão e alega que Pedroso faz parte do PCC, traficava drogas, atuava com o tribunal do crime da facção e “não poderia ter sido agraciado pela Justiça com tamanho presente”.

A defesa do médico já havia pedido à Justiça a instauração de incidente de insanidade mental por entender que o cliente é dependente químico.

Ribeiro foi preso em maio de 2022 acusado de facilitar o assassinato do paciente Gilianderson dos Santos, dentro do Hospital Santo Amaro, no Guarujá, onde o médico trabalhava.

Investigações policiais apontam que a vítima foi morta por integrantes do PCC também presos.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo