Homem Preso Pela Posse De 334 Gramas De Maconha Tem Prisão Revogada Por Gilmar Mendes

Ministro do STF, Gilmar Mendes, revoga prisão preventiva de jovem acusado por posse de maconha
Gilmar Mendes Gilmar Mendes
Gilmar Mendes

Ministro do STF, Gilmar Mendes, revoga prisão preventiva de jovem acusado por posse de maconha

Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), revogou a prisão preventiva de um jovem de 19 anos que foi preso por possuir 334 gramas de maconha e acusado de tráfico de drogas. O juiz concluiu que a justificativa para a determinação preventiva foi genérica.

Gilmar Mendes também estipulou que, em vez da detenção, o Juízo de 1º grau deve “aplique as medidas cautelares que entender cabíveis”.

A preventiva do homem foi decretada com base na “gravidade acentuada” do fato. Segundo a decisão, o tráfico “funciona como mola propulsora para o cometimento de outros delitos”. Por isso, a liberdade “poderia significar estímulo à continuidade delitiva”.

A defesa do preso com 334 gramas de maconha argumentou que a fundamentação foi genérica e inerente ao tráfico de drogas.

O magistrado do Supremo Tribunal Federal alinhou-se ao argumento da defesa do acusado. Segundo Gilmar Mendes, o embasamento do veredito que determinou a prisão preventiva é “aplicável a qualquer caso que trate do mesmo crime”. Em outras palavras, o acusado foi detido preventivamente apenas porque sua ação configura o crime de tráfico de drogas.

A decisão de 1ª Instância dizia que a preventiva estava fundamentada “não só na gravidade concreta do delito, mas também nas demais circunstâncias”. Segundo Gilmar, a alegação “mostra-se imersa em generalidades e é amparada por elementos que não extrapolam as circunstâncias próprias do crime”.

O ministro do STF ainda ressaltou que o homem tem trabalho lícito e residência fixa. Também, de acordo com Gilmar Mendes, não havia qualquer informação sobre envolvimento em outros crimes ou indícios de que ele pertence a alguma organização criminosa.


Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *