NotíciasPolítica

Governo Lula já pensa em suspender leilão do arroz e afastar envolvidos

Ministros discutem soluções para crise após ordem de Lula; ex-assessor de Neri Geller confirma sociedade com filho do secretário

Carlos Fávaro, Ministro da Agricultura e Pecuária; Paulo Teixeira, Ministro do Desenvolvimento Agrário; e Edegar Pretto, presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), estão reunidos para tratar da crise provocada pelo leilão de arroz.

Nesta tarde, os três participaram de encontros internos que não foram anunciados na agenda oficial. A razão é evidente: alegações de irregularidades no leilão foram trazidas ao conhecimento do presidente Luiz Inácio da Silva, que instruiu o afastamento dos envolvidos, conforme relatado por Roseann Kennedy na coluna do Estadão.

O Agro Estadão tentou entrar em contato com o Ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, mas não obteve resposta. Fávaro tinha um compromisso agendado em Brasília na segunda-feira, 10, para a 4ª Edição do Fórum da Cadeia Nacional de Abastecimento (ABRAS), no entanto, ele não estava presente.

Edegar Pretto, presidente da Conab, prosseguiu com suas obrigações habituais, que incluíam reuniões internas e uma reunião com o ministro Paulo Teixeira, de acordo com a programação oficial. Nos bastidores de Brasília, há rumores de uma possível suspensão do leilão.

Entenda por que o leilão de arroz está sob suspeita e qual o envolvimento de Neri Geller

A escolha de efetuar o leilão para importação de arroz surgiu após um estudo técnico realizado por Silvio Porto, diretor de Política Agrícola e Informações da Conab. A aprovação do documento foi feita por Neri Geller, secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura.

Fontes envolvidas no processo consultadas pelo Agro Estadão explicam que este é o procedimento padrão para qualquer leilão. Com a aprovação, a operação foi executada por Thiago dos Santos, o diretor de Operações e Abastecimento (DIRAB) da Conab.

Neri Geller volta a ser o centro das atenções, uma vez que o presidente da Bolsa e o corretor que efetuou a compra de nove dos 15 lotes negociados no leilão de arroz da Conab é seu ex-assessor parlamentar. Robson Luiz Almeida França iniciou sua trajetória no setor de Bolsas de Mercadorias em maio de 2023, com a criação da BMT – Bolsa de Mercadorias de Mato Grosso e seu cadastro na Conab. No mesmo período, ele também fundou a Foco Corretora.

No leilão, as duas empresas se destacaram, garantindo mais de 90 mil toneladas de arroz (93.684). Esse volume se refere aos lances feitos por três empresas: Zafira Tranding, Icefruit e ASR. Para ele, o governo terá de desembolsar aproximadamente R$ 468 milhões. Entre 0,5% e 1% desse total são destinados às bolsas e corretoras que conduziram a operação.

Artigos relacionados

4 Comentários

  1. …e prisão para os corruptos profissionais de esquerda. Já era de esperar.
    De Gaulle continua com razão, “o Brasil não é um país sério”.

  2. Já era de se esperar que esses safados não iriam perder a oportunidade de dar um desfalque no povo brasileiro, é o molusco de nove dedos já sabia que isso iria acontecer. Realmente o Brasil não é para amadores.

  3. Lembram dos respiradores comprados em loja de bebidas??
    Nunca chegaram, o consórcio Nordeste embolsou os 100% da negociata, ninguém sabe, ninguém viu e não se fala mais nisso.
    Esse arroz são “respiradores”, falcatrua pura…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo