Geolocalização de celular mostra que Filipe Martins estava no Brasil durante viagem de Bolsonaro aos EUA

Material prova que ex-assessor não saiu do país, ao contrário do que alega Alexandre de Moraes
Filipe Martins Está Detido No Complexo Médico Penal De Pinhais Filipe Martins Está Detido No Complexo Médico Penal De Pinhais
Filipe Martins está detido no Complexo Médico Penal de Pinhais (PR) | Foto: Reprodução/Redes sociais

Material prova que ex-assessor não saiu do país, ao contrário do que alega Alexandre de Moraes

Os dados de geolocalização do telefone de Filipe G. Martins mostram que seu dispositivo estava ligado no Brasil em 31 de dezembro de 2022, um dia depois da alegada viagem com o ex-presidente para Orlando, na Flórida, de acordo com as informações divulgadas pela Polícia Federal (PF).

A operadora Tim enviou ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, os registros de sinais do celular de Martins, confirmando sua presença no Brasil nessa data, além de documentar sua viagem para Curitiba, Paraná.

Em resposta às acusações da PF, Martins autorizou a quebra de seu sigilo telemático para provar sua permanência no país, contradizendo as alegações policiais.

Os dados de geolocalização mostram que em 31 de dezembro de 2022, Martins estava localizado às 16h56m17s no Park Way, em Brasília, e às 19h56m44s no Jardim Alvorada, em Maringá, coincidindo com os horários de seu voo confirmado pela Latam para Curitiba.

Embora o passaporte diplomático de Martins indicasse uma entrada nos EUA em 30 de dezembro de 2022, registros policiais revelam que ele perdeu o documento em 26 de fevereiro de 2021. Apesar das acusações de evasão levantadas pela PF, a suposta viagem para os EUA não foi confirmada por autoridades brasileiras ou americanas.

A prisão de Martins em fevereiro de 2024 foi autorizada com base no argumento de risco de fuga, associado à mencionada viagem, embora essa informação não tenha sido corroborada.

Martins está atualmente detido no Complexo Médico Penal de Pinhais, no Paraná, após ser encontrado no apartamento de sua namorada em Ponta Grossa, a 117 km de Curitiba, demonstrando que seu paradeiro era conhecido pelas autoridades no momento da prisão.


Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *