NotíciasPolítica

Deputado federal eleito denuncia Pacheco por improbidade administrativa

Presidente do Senado teria cedido o advogado-geral da Casa ao senador Jorge Kajuru; regimento interno proíbe a prática

O deputado federal eleito Gustavo Gayer (PL-GO) denunciou, nesta quarta-feira, 18, o presidente do Congresso e candidato à reeleição à presidência do Senado, Rodrigo Pacheco, ao Ministério Público Federal (MPF).

Segundo Gayer, Pacheco cometeu crime de improbidade administrativa ao “ceder” o advogado-geral do Senado ao senador Jorge Kajuru (Podemos-SP). Essa medida atenta contra o regimento interno da Casa, visto que o advogado do Senado não pode atuar em casos particulares.

Na segunda-feira 17, o senador disse à emissora Jovem Pan que vai votar, “por gratidão”, na recondução de Pacheco à presidência do Senado. De acordo com Kajuru, Pacheco pôs o advogado-geral da Casa à sua disposição, para que consiga se defender de processos que tramitam no Supremo Tribunal Federal (STF).

“Quem não tem gratidão não tem caráter”, afirmou Kajuru, em entrevista à emissora paulista. “No meu momento mais difícil, de ministro bloqueando meu salário, fazendo multa milionária contra mim, me processando, quem me ajudou foi ele [Pacheco]. Ele colocou o advogado-geral do Senado à minha disposição, foi muito correto comigo, muito legal comigo. Não posso esquecer isso.”

Conforme a representação feita por Gayer, a declaração do senador é “grave” e configura “crime de improbidade administrativa”, já que não cabe ao advogado do Senado prestar assessoria pessoal aos parlamentares, “muito menos agir em ações particulares”.

“Ao advogado-geral compete planejar, supervisionar, coordenar e controlar a execução das atividades de competência da Advocacia do Senado Federal; prestar assessoria, no âmbito das competências da Advocacia do Senado Federal, às reuniões da Mesa e da Comissão Diretora, quando solicitado”, destaca um trecho do documento.

O deputado eleito disse que a representação visa a impedir futuras práticas de improbidade administrativa no Senado. “Pacheco tem de responder judicialmente por ter praticado o crime de irresponsabilidade administrativa”, afirmou. “E espero que os senadores que hoje declaram apoio ao Pacheco percebam que reelegê-lo complicará ainda mais essa convulsão social que o Brasil se encontra. Sua não reeleição é a única medida que poderá trazer um pouco de estabilidade ao Brasil.” As informações são da Revista Oeste.

Artigos relacionados

2 Comentários

  1. Ué, o xandinho não manda prender todo mundo mmo gente q não comete delito algum? Mete o Paxeco no xilindró kkkkk… Humm… Difícil hem , é ele quem tá segurando 10 pedidos de impietchman dele né…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock Detectado

Por Favor, ajude-nos a manter esse site no ar. Retire o bloqueador de anúncios.