NotíciasPolítica

Cidadãos deixaram de ser escravos do MST, diz Bolsonaro

Em sabatina no SBT, o presidente destacou a queda no número de invasões de propriedade durante seu governo

O presidente Jair Bolsonaro (PL) destacou, nesta terça-feira, 13, as medidas estabelecidas pelo atual governo para resguardar o direito de propriedade no Brasil. Em entrevista ao apresentador Carlos Massa, também conhecido como Ratinho, o chefe do Executivo lembrou a diminuição no número de invasões de propriedade nos últimos quatro anos e ressaltou a queda nas atividades do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

“Eles não invadem mais a propriedade de ninguém”, disse Bolsonaro, referindo-se aos militantes. “Os cidadãos deixaram de ser escravos do MST.”

Entre outros fatores, o presidente atribuiu ao porte de armas o sucesso na neutralização dos sem-terra. “A posse de armas inibe a violência”, disse Bolsonaro. “Qual Estado tem o menor índice de violência para cada 100 mil habitantes? Santa Catarina. Por quê? É o Estado que mais tem clubes de tiros e que tem muitas pessoas portando armas de fogo.”

Segundo o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), 11 invasões de fazendas foram registradas no país no ano passado. Em 2020, foram apenas seis. No ano anterior, sete. Trata-se dos menores números verificados desde 1995, quando o Incra passou a organizar as estatísticas.

Nos dois mandatos de Fernando Henrique Cardoso (PSDB), os sem-terra invadiram quase 2,5 mil fazendas. A administração de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) registrou cerca de 2 mil invasões. Na era Dilma Rousseff (PT), por sua vez, houve menos de mil crimes dessa natureza. Os números mostram que o atual governo, liderado por Jair Bolsonaro (PL), apresenta um desempenho melhor até mesmo que o verificado na gestão de Michel Temer (MDB), que durou de agosto de 2016 a dezembro de 2018: foram 54 invasões durante o tempo em que o emedebista esteve à frente do Palácio do Planalto, enquanto nos últimos quase quatro anos elas não passaram de 15.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo

Adblock Detectado

Por Favor, ajude-nos a manter esse site no ar. Retire o bloqueador de anúncios.