Argentina alcança marco histórico e registra inflação zero no setor de alimentos e bebidas pela primeira vez em 30 anos

Argentina registra taxa zero de inflação no setor de alimentos e bebidas pela primeira vez em 30 anos
Milei Milei
Foto: Divulgação/Lanoticiaweb

Argentina registra taxa zero de inflação no setor de alimentos e bebidas pela primeira vez em 30 anos

Após três décadas, a registrou uma taxa de inflação zero no segmento de alimentos e bebidas. Os números, revelados pela consultoria Econométrica, são referentes à terceira semana de junho e constituem um importante marco no combate à elevada inflação durante o mandato do presidente Javier Milei.

O documento da Econométrica mostra que a inflação em “alimentos e bebidas” ficou em 0,0% na terceira semana de junho. Isso contrasta com a segunda semana, que teve um incremento de 0,1%, e a primeira semana, que viu um aumento de 1,2%. Esses dados sugerem que a inflação nos quinze dias mais recentes foi de somente 0,1%.

Atualmente, a inflação geral de junho se situa em 2,4%, embora a medição da quarta semana ainda esteja por ser concluída. As duas últimas semanas mostraram estabilização dos preços (0,1% e 0,0%), o que evidencia a eficácia das políticas econômicas postas em prática pelo governo de Milei. Desde que assumiu o poder, Milei promoveu o maior ajuste fiscal já visto na história da Argentina, erradicando o déficit fiscal e cessando a emissão de moeda.

O presidente Milei comemorou esta conquista em suas plataformas online, enfatizando a necessidade de manter o esforço para solidificar esses progressos e assegurar que os frutos dessas políticas sejam evidentes no bem-estar de todos os argentinos.

Durante o ano, houve um aumento de 65,6% no preço de alimentos e bebidas, enquanto o custo de bebidas alcoólicas e tabaco subiu 80% nos primeiros cinco meses, conforme indicam os dados oficiais do Indec. Em uma avaliação interanual para maio, o preço dos alimentos e bebidas aumentou 289,4% em todo o país, enquanto as bebidas alcoólicas e o tabaco tiveram uma inflação de 266,3% em relação ao mesmo mês do ano anterior.


1 comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *